Capricórnio


Tu és como o titã Atlas, cardeal
Carregas o mundo todo em teu costado
Mesmo reclamando que seja desleal
Continuas a carregar o globo com o corpo encurvado

Admiro-te, tens o auto-controle bem treinado
Mesmo que de um confronto saias fatigado
Guardas isso dentro de ti, desconformado...
Para dizer-nos, depois: que grande pecado!

Saturno lhe reflete: pesado, inflexível e cobrador
Por isso não é a toa que escondes tua dor
Apreciador da constância e lealdade

Põe-te de sempre de joelhos, esbanjando humildade 
Mas relaxe, o mundo não é somente teu
Essa ambição te leva o apogeu, mas é também o teu breu