Vulgarização da escrita pelos pseudo escritores

Throes of Creation by Leonid Pasternak

O assunto aqui abordado é de extrema seriedade e vem me dando certa repulsa durante o tempo que passo pensando a respeito. Uma vulgarização do título escritor está sendo apresentada para nós, através desses tais pseudo escritores que se auto financiam com suas "editoras" os lançando para o mercado editorial.
Depois do lançamento do meu primeiro livro (Origem do Além) eu comecei a ousar ser um escritor de verdade. Mas "pera lá"! Eu escrevo nesse blog desde 2010 e na faculdade tive aula de escrita criativa com um dos maiores escritores do país, Fabrício Carpinejar. Então, depois de seis anos estudando muito a língua portuguesa, a literatura mundial, a forma da escrita e publicando, depois de muito estudo sobre o assunto abordado, o meu primeiro livro, acho que eu posso, sim, ser chamado de escritor!
Já tentei escrever um livro quando tinha 13 anos (meados de 2008) e é óbvio que não deu certo, eu não tinha bagagem e muito menos inteligência para fazer uma obra eterna. Então, nessa época, eu fui um pseudo escritor!
Mas ser um pseudo escritor aos 13 anos é algo perdoável, pois ser esse cara me deu a humildade de pensar: "esperem, escrever um livro é muito mais difícil do que eu esperava!" e com isso eu decidi ser um "blogueiro" e escrever meus poemas/contos/sonetos/ideias nesse blog. Em 2010!
Então, tudo bem. Vamos falar sobre os verdadeiros pseudo escritores. Aqueles que vem manchando a reputação do escritor brasileiro.
Hoje em dia existem diversas editoras no mercado editorial, mas apenas uma esmagadora minoria, são grandes editoras.
As editoras vem "dando espaço" para novos autores publicarem seu livro. Até aí tudo perfeito, não é? Que editoras legais, pensando nos novos autores que não têm oportunidades em grandes editoras!
NÃO!
Essas editoras cobram um valor absurdo para publicarem o livro desse pseudo escritor (o livro desse cara sequer foi lido por eles) e, se o pseudo escritor estiver disposto a pagar o valor de um carro para lançar o seu livro, eles vão lá e fazem uma revisão péssima e uma diagramação pior ainda, uma capa de qualquer jeito e botam os livros nas livrarias. Só que seguinte: "Os autores desses livros só recebem 10% do lucro de venda de cada livro, ok?"
Eu não sei como existem pessoas que aceitam isso.
Meu agente literário costuma chamar esse processo de "publicação de ego".
É vergonhoso pagar tanto dinheiro assim para as editoras publicarem o teu livro se nem sequer elas veem se está tudo certo com esse. Eu conheço um caso de arrepiar! Uma menina publicou um livro dessa forma, mas toda a tiragem do livro veio sem um capítulo do livro... SEM UM CAPÍTULO INTEIRO DO LIVRO!
...
Ela teve que pagar mesmo assim por isso...
Agora, vamos falar de outro tipo de pseudo escritor. Aqueles que banalizam o título que tantos, assim como eu, lutaram tanto para conseguirem.
Existem pseudo escritores que NUNCA escreveram nada na vida e que falam para ti, escritor: "Que legal que está dando tudo certo pra ti! Eu também sou escritor!"
Daí tu respondes: "Sério? Sobre o que tu estás escrevendo? Estás no final do livro já?"
Então eles, orgulhosos, discorrem imediatamente: "Não, eu tenho toda a ideia na minha cabeça, mas ainda não comecei a escrever"
Depois dessa tu, escritor, comentas, já meio duvidoso: "Hmmm... que legal... e tu tens algum blog ou site onde escreves algo?"
A boca abre, tu, escritor de verdade, já sabes a resposta, mas está curioso para ouvir mesmo assim: "Não, não tenho. Não curto muito..."
...
Como tu és um escritor se tu nunca escreveste nada? É como falar que é um jogador de futebol, mas está aprendendo a jogar bola. É como falar que é mestre de uma arte marcial, mas que está pensando em começar a fazê-la!
Por favor, parem com a banalização desse merecido título. O dia que tu escreveres ou publicar (sem ser uma publicação de ego, por favor) algo deveras grandioso, que dá para ver um certo esforço e/ou estudo sobre o assunto, venhas falar comigo sobre teu título de escritor. Então conversaremos trocando ideias, opiniões, críticas e tudo mais! Seremos colegas de profissão!
Mas, se tu continuares banalizando minha profissão desse jeito, tu serás meu inimigo.