Divindade Sombria



Fui-me atrás de um sonho
A ti voltares e voltares
Se a ti trazeres a paixão
Tu, de fato me deixas a solidão
Como a formosa claridade do dia
Devasta-se, tempestuosa, como a divindade sombria
Ao calor dos teus braços, vejo-me diante de ti
Ao frio e nefasto só, vejo-me sem você aqui
Diga-me pelos céus, tamanha loucura de amar-te
Quanto a indesejada amargura de perder-te
Vagando sem rumo diante da arrogância
É nesse dia que aturo o amargo gosto da distância.