Discussão

Ilustração de Loui Jover: http://www.saatchiart.com/louijover

Saiu da sua boca em um tom patético
Duas palavras que ele leu na página
Em sua voz entonando a própria dúvida
E a tremular o som que saía como êxodo
Seria engraçado se não fosse trágico
Não entendo o que diz pela sua fonética
Quando questionado já responde rápido
E tenta se afogar em um suspiro último

Quando discurso em um tom amável
Vem se metendo como se fosse o júri
E aponta sua palavra igual a um lápis
Com respostas divulgadas de um jeito ímpar
A fera precisa ser acalmada para ficar dócil
Quando fecha a boca é similar à bênção
Mas retoma a divagar de forma lamentável
Novamente da sua boca se espalha o vírus

Vou eu de novo retrucar de forma cortês
Mas logo sou pego e caio no efeito dominó
De alguém que mal sabe falar o português
Que nunca fez alguém tirar o chapéu
E não para em momento algum de citar seu herói
De suas palavras ele mesmo se torna refém
Então paro e digo: “é assim que se constrói”
Ele se cala como um rato quando o queijo rói

Com a sua lágrima tudo acabou de jeito mágico
Minhas palavras lhe deixaram estéril de maneira fácil
Agora sentemos, vamos tomar um café, eu pago para você.