Velho Filme

Imagem de domínio público


Fora de controle, dois olhares se cruzam, o som do medo perturba seu coração
Celas tremem com prazer, debaixo do peito, deixara tudo e caíra em tentação
Manipulados pelo mesmo sentimento, mesmo ideal e pela mesma pulsação
Tragado num espaço sem sentido e sem cor, eu me rendo a sua aparição

Estenda suas asas invisíveis quando fugir, mas faça o que queres e me leve junto
Cubra-me com seu amor, suas carícias, seu afeto e alegria, tudo em um mesmo conjunto
Tantas vezes, falamo-nos durante horas, lágrimas escorrem sem fim sobre o mesmo assunto
O som que reflete do nosso olhar, a força que ele transparece faz parecer grau disjunto

Pelo desconforto que és forçada a passar, durante essa chuva cortante que o céu chora
Pela manhã após a chuva, eu vou pular nas poças, espero a noite do dia em pé desde agora
Um beijo que sela nosso laço, entrega-se de braços abertos para a dor da noite outrora
Meio século de carícias, infinitos beijos, os amantes não tem motivos, mas é lindo como a aurora

O ressoante som do projetor preenche um quarto entregue a dois corpos e uma cama
Versos logo tomam conta dali também, os mais belos e verdadeiros deles avisa que te ama
Tu e eu sorrimos em um velho filme. O casal daquele tempo faz o verdadeiro amor que a ti chama
Lágrimas se espalham para todos os lados e promessas são feitas, lindas como o velho drama

Dois corações batem melhor do que um só...