A tese do Anjo

Arte de Gustave Doré

A expressão constante aos céus colorida, o anjo novamente apareceu...
Tem diante de seus olhos um céu cor-de-safira, que brilhava empalidecendo a constelação de Peixes...

Monitorando o destino perdido, de um povo jamais esquecido
Voltas, o tempo no fim do mundo, as pessoas não são mais as mesmas...

Até o tempo de a lua chegar, não me resta mais nada
Sentir o empalidecer da brisa no meu rosto
É o que eu mais quero...

Memórias, esquecidas, a tese do anjo realmente estava certa...
Preso a um labirinto de lembranças, esperando o meu dia chegar...

Ao forte vento que levou minha alegria de mim
Peço que me leve a outro lugar bem longe daqui

Na escuridão, diante da noite que tatua a constelação de peixes, eu agradeço ao forte vento, enfim cheguei ao meu lugar.